sábado, 15 de março de 2008

Utilidade pública

Sábado , 15 de Março de 2008

Alerta ao consumidor
No dia internacional do consumidor, O Jornal Hoje faz um alerta para quem tem seguro de carro. Você pode estar sendo lesado, sem saber. O Ministério Público já comprovou o envolvimento de seguradoras em crimes como estelionato e falsificação de documentos.







Numa lista, estão alguns dos muitos consumidores lesados pelas seguradoras. O publicitário Fernando Domingos que também foi vítima de uma dessas empresas faz parte de uma ONG criada para dar voz a essas pessoas. “Eu comecei a pesquisar e quando eu comecei essa investigação eu vi que eram dezenas de pessoas que passaram a centenas e milhares de pessoas como eu”, conta.

O Ministério Público de São Paulo já comprovou a prática de diversos crimes e está processando as seguradoras por estelionato, falsificação de documento público, ameaça a consumidores, coação de testemunhas, provas forjadas e formação de quadrilha ou bando. “Os representantes de seguradoras e os policiais abordam o consumidor e deixam bem claro ou você desiste do recebimento do seguro ou então você será indiciado e processado por estelionato, porque nós temos um documento paraguaio de compra e venda do seu veículo na data que você disse que havia sido furtado”, diz o promotor José Luiz Bednarski.

Dona Maria Isabel passou por isso. Na delegacia onde foi denunciar o roubo do carro do filho foi acusada e humilhada. “Disse que eu era a chefe da quadrilha internacional”, conta.

Além desses crimes, a seguradora também lucra com a desinformação dos consumidores. Está no contrato que a franquia do seguro só precisa ser paga quando você amassar o carro. Se você bater num outro veículo o reparo dos danos desse terceiro veículo deve ser feito pela seguradora sem nenhuma franquia. Só que pouca gente sabe disso.

O presidente do sindicato das oficinas de São Paulo encaminhou várias denúncias á secretaria da Justiça. “É um círculo que tem colocado principalmente a vida do consumidor em risco”, diz.

O Jornal Hoje procurou a superintendência de seguros privados para falar sobre as acusações do Ministério Público, mas não tivemos resposta.